Sobe uso de aplicativos para táxi e cooperativas pedem regulamentação

Aplicativos para os consumidores chamarem táxi pelo smartphone são cada vez mais utilizados em todo o país, o que faz com que as criadoras das ferramentas registrem crescimentos de até 100% ao mês. Com o aumento da demanda, elas começam a entrar no mercado corporativo – algumas já oferecem e outras desenvolvem soluções para empresas. Continuar lendo

Concorrência virtual

Aplicativo para chamar táxi ganha a adesão de clientes e motoristas que estão atrás de conforto e segurança

Selmy YassudaPaula Diamante, adepta do sistema: fazer sinal com o braço esticado em busca de um amarelinho é um gesto do passado

Pegar um táxi no Rio muitas vezes pode ser um calvário, que começa pela dificuldade de encontrar um veículo disponível. Até pouco tempo atrás havia duas opções para dar esse primeiro passo. A pessoa podia ir para a rua e esticar o braço em direção ao asfalto, à espera de que algum amarelinho parasse, contando com a sorte de que o condutor fosse um profissional correto. A outra alternativa, habitual para os mais precavidos ou para quem estivesse em local ermo, era pegar o telefone e chamar um veículo de cooperativa. Mesmo nesse caso, o usuário não estava imune a aborrecimentos, como deixa claro o relato da advogada Fernanda Oliveira, moradora de Laranjeiras, que trabalha até altas horas em uma área considerada perigosa do Centro, nas adjacências da Praça da Cruz Vermelha. “As cooperativas são como um telefone sem fio”, desabafa ela. “Quando retornam a ligação, muitas vezes é para informar que não localizaram um veículo próximo. Sem contar as inúmeras situações em que fiquei na mão mesmo após a confirmação da viagem.” Na era dos smartphones, a via-crúcis da advogada ficou para trás. Ela tornou-se freguesa de um aplicativo para chamar táxi, que atrai, numa ponta, passageiros em busca de um serviço seguro e eficiente e, na outra, motoristas atrás de clientela e agilidade.

Continuar lendo

Taxistas: Prazo para afixar cartazes

640px-Táxi_-_Rio_de_Janeiro,_Brasil

Taxistas do Rio têm até o dia 17 para afixar nos veículos cartaz sobre a comercialização de ingressos e acesso ao Cristo Redentor, sob pena de multa de R$ 157,06. O informativo deve ficar no vidro traseiro direito até o fim de agosto.  Continuar lendo

Teresópolis (RJ): Fiscalização contra irregularidades em táxis

1357176147_468933378_1-Taxi-Teresopolis-24Hs-Aeroporto-Viagens-Encomendas-Rio-Tere-25955600Visando a melhoria no serviço oferecido à população, o Sindicato dos Taxistas juntamente com a Secretaria de Segurança Pública vai intensificar os trabalhos de fiscalização contra as irregularidades cometida por alguns taxistas no município.

De acordo com Onofre Correa, Presidente do Sindicato dos Taxistas de Teresópolis afirma que esse trabalho só tem a beneficiar a população: “A fiscalização que nós vamos fazer junto com a Secretaria de Segurança Pública vai ser voltada, em grande parte para os taxistas que vão cobrir o evento do dia 30 de maio. Continuar lendo

Friburgo (RJ): Padronização dos táxis pode ser aprovada

taxiii-prata

O prefeito Rogério Cabral e o vereador Marcelo Verly se reuniram recentemente com representantes dos taxistas e da Autarquia Municipal de Trânsito (Autran), em Nova Friburgo, Região Serrana do Rio, para discutir a minuta do projeto intitulado “Lei do Táxi”. A reunião foi considerada produtiva pelo superintendente da Autran, coronel Hudson de Aguiar, que já deixou agendada uma nova reunião para esta sexta-feira (7), às 14h, na sede da autarquia para debater os detalhes e buscar consensos. Continuar lendo

Cooperativas brigam pela regulamentação de aplicativos de chamada de táxi

Cooperativas pedem regulamentação de aplicativos de táxi

Cooperativas pedem regulamentação de aplicativos de táxi – Renato S. Cerqueira/Futura Press

Apontados pelos clientes como uma ferramenta que torna mais rápida a localização de um táxi, os aplicativos instalados em smartphones também ganharam opositores. Cooperativas de táxis têm se sentido prejudicadas pelos novos concorrentes – que cobram do taxista até R$ 2 por corrida repassada. Já as cooperativas, que têm como principal vantagem a central de rádio-chamadas, recebem valores que variam de R$ 500 a R$ 2 mil por mês de seus associados. Continuar lendo

Taxista se destaca pelo amor ao trabalho

taxista

O amor de Sandra Souza Brito pelo trabalho e pelo Rio fizeram dela uma campeã de hospitalidade. São quase 30 anos rodando pela cidade e recebendo bem os passageiros e turistas que visitam a cidade.

Assista aqui. Continuar lendo